sábado, 30 de agosto de 2008

Mudanças

Ela não estava aguentando mais.A ansiedade-não mais por bombons-que poderiam estourar-lhe as veias.
Era o pior momento esse,meio excitado,meio cansado,quando ela esperava que campainhas tocassem...E elas tocavam,mas era somente um rapaz que a dizia sobre uma encomenda ou um engano.Ou a vizinha lhe pedindo um pouco de açúcar.
Nada nada de mudanças.
-As mudanças,minha cara,só nas cores do seu cabelo,nas roupas e nos dias da regra mensal.
N
ão!Não queiram,que ela acredite que tudo o que ela vive será eterno,igualmente bom,para o resto de seus dias.
Ela não pode viver com o igual,não pode sobreviver com o certo,não quer morrer com certezas.
-Então,vá pro diabo que a carregue!Estrague logo esse lindo dia!

19 comentários:

Vênus disse...

Oi,linda
Puxa,mas que mulherzinha...se as coisas vão bem,porque mudar??
Vai ver que é falta de chocolate mesmo!!

beijos e obrigada pelas visitas

Paula disse...

Pôxa, por que é tão difícil de aceitar coisas boas e que elas podem ser para nós?

beijos

Véu de Maya disse...

Olé Aninha!

tenho andado andarilho, mas agora estabilizei...e virei mais vezes ao encontro marcado...os teu texto vai na crista da onda...não é a mudança a todo custo que faz a felicidade mas aquela que nasce silenciosa ganha raízes e acontece no momento certo?

grande abraço de felicidade

Luciana disse...

Oi,Aninha

Pois é..a maioria das pessoas detestam mudanças,outras anseiam por elas...Adorei a crônica!

Olha,iniciei os links dos Blogs amigos...e,claro ,vc está linkada!
bjs

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel site. :)

Antonio Ximenes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antonio Ximenes disse...

As mudanças assustam.
A rotina tranqüila... o porto seguro... as certezas que nos rodeiam em forma de uma doce rotina.

Uma perfeição que alguns não enxergam.

A complexidade humana prefere nos fazer migrar... como nômades... procurando outras terras... novos habitats.

Não existe opinião certa ou inquestionável sobre criar ou não criar raízes.

Prefiro uma doce rotina permeada de rompantes imprevisíveis... do que uma vida inteira de mudanças incontroláveis.

Abração pra tu.

Ricardo Rayol disse...

TPM é de lascar

Jorge Cardoso disse...

as mudanças casam com stress, mas se for para melhor logo passa o stresse e vem o sabor...


Beijo...

BANDEIRAS disse...

Nunca estamos satisfeitas com nossas vidas. Pq ? vai saber...
Bjs linda

Flávio Monte disse...

Alma irrequieta, desejo de mudança e de asfixiar a rotina; ironia requintada; texto de qualidade inversamente proporcional ao seu tamanho! Eis porque gosto tanto de si, Aninha!

Zé Ernesto - Gaia disse...

Acerca de mim

Alguém que não quer que seus sonhos interpretem sua vida, mas antes que sua vida interprete seus sonhos.
Ennvio poema para a alegrar
NOITE FRIA

Noite fria no meu coração!
Não vieste para a aquecer,
poderei mesmo vir a perecer.
Vem! Trás contigo lava de vulcão...

Bom fim de semana
Um bem haja

GOOGLE
site:zuluechopaparomio.blogspot.com poetário
BLOG - Visitar e comentar basta clicar sobre a imagem de Jesus Orando

Paradoxos disse...

Voltei amiga!

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!!!Mudanças são importantes, belo texto!! Publiquei novos poemas, no estilo haicai, espero que goste!!!

BJS

MAURO ROCHA

Noslen ed azuos disse...

Estava com saudades de suas poesias/palavras, elas têm energia que me carrega, lava ( ia escrever leva e saiu lava, fica assim.)

Bjs
ns

Jhennifer Cavassola disse...

Concordo com a Vênus.
Tem pessoas que sofrem desse mal.

Eu adoro mudanças, adoro conhecer o novo, tem um sabor gostoso. Mas tem gente que se sente melhor na rotina e tem pavor da mudança.
Amei a postagem!!

Beijos um linda semana!

Mustafa Şenalp disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Cardoso disse...

olá Linda que saudades!

bonita essa forma de escrever...

beijo...

O Profeta disse...

Frágil e palpitante luz
A beleza é feita de ternos murmúrios
A voz quebra a quietude do silêncio
A chuva leva a terra ao encontro dos rios

Não há fracassos no sonho
Caminhei nas nuvens para te ver do alto
Abri os braços ao relâmpago
Desci à terra, senti nos pés o frio basalto


Vem comigo escolher o caminho


Mágico beijo