quarta-feira, 18 de junho de 2008

Coração Indeciso

Inteira,com olhos há duas décadas fixados no mesmo lugar: passado!
Mas,o coração zumbindo de dor,recomenda:beije a lua,comande as estrelas,atenue o sol,diga as mais belas palavras,soletre amores,comente as dores,mas dance as valsas totais.E dance mais,continue a enrolarar-se sempre nas bandeiras por aí,nas camisas todas,e saia em barcos azuis,voe com gaivotas mais sábias,desmanche nas areias,faça bolos inconfundíveis .
Meu coração,mais amigo diz ainda:desarrume as gravatas vizinhas,cruze as pernas serenamente,brinque com os escândalos,tropece as palavras,se engalfinhe com os corpos em amor.
Mas ele mesmo,o coração me invade de perguntas,me deseja casta e verdadeira,amorosa como os pássaros que ninguém vê!
Inteira,sou a parcela de mim!

25 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...

Esse texto me lembrou um poema que fiz algum tempo:
"Conhecer e ser conhecido
Mistérios não resolvidos
E esta face diante do espelho
Será o “eu” ou a metade do inteiro?"

Seus textos são muto bons.

Um abraço e beijo!!!

MAURO ROCHA

Nilson Barcelli disse...

Magnífico texto, muito poético e repleto de belíssimas imagens.
Gostei.

Beijinhos.

Luís Costa disse...

Também eu me envolvo cada vez mais na sua prosa. Você escreve muito bem e tem cunho próprio.
Vou continuar a tomar o meu copinho de brisa consigo, neste cantinho nosso, onde ninguém nos vê!

Quando abrir o meu novo blogue, vou criar nele um espaço especial para este nosso encontro, mesmo que você me desfaça o nó da gravata.

Paula Basques disse...

Lindo o textoa, Ana. Gostei muito, mas prefiro olhar para o futuro, o passado me serve como orientação...

beijos,

VEU DE MAYA disse...

Olá Aninha!

Passei e partilhei espontaneamente as fições do idílio que é afinal o jogo labiritico das emoções e afectos do teu coração...
Uma forma de reencontro-meio introspectivo... e quase desafio alegre para esvoaçar no horizonte...onde chamam tantos sonhos.

Beijnhos

Salve Jorge disse...

Então dança
Balança
Sacode a traça
Que a vida bem pode ser mansa
E quando cansa
Vire criança
E ria
Até doer a pança
Que a vida é errância
E para viver na inconstância
É preciso dançar...

Noslen ed azuos disse...

Aninha tem uma lua para vc no céu...

Bjs
NS

BRUNO LEONARDO disse...

Oi,linda

Quer dançar comigo?
Adoro suas poesias!!

bjs

Paradoxos disse...

Obrigado por partilhares connosco tão poderoso texto! Sabiamente bem escrito!

sagher disse...

tenho um encontro no tempo
de velas ufanas ao vento
marcado com o teu
nome

Débora disse...

Oi,Aninha

Lindo como sempre.
Obedeça seu coração!

bjs

Bonequinha de Luxo disse...

Bom dia,Aninha

Sabe do que mais gostei??"desarrume as gravatas vizinhas" rsrs
Lindoo como sempre!

bjs

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Maravilhoso!!
Você conseguiu traduzir "as metades" de uma forma que eu não tinha visto ainda. você conseguiu ser sutil e forte. Há um tempo atrás escrevi um texto que é o título de um livro que estou escrevendo.. Metades!!
Agradeço pelo manjá oferecido aqui..

Além de linda, escreve muito bem!!

Abraço.

Dry Neres

Marcelo Martins disse...

"Inteira,sou a parcela de mim!"
Acho que o problema é sabermos quando (e por que) estamos inteiros...
Venho me sentindo assim ultimamente, e as razões me parecem bem claras.
Só espero não ter que voltar a caminhar pelas ruas com metade de mim perdido em alguma alameda sombria.

Beijinhos

Clau disse...

Olá

Seus versos nos mostra um coração transbordante de poesia...
Gosto de tudo que vc escreve!

bjs

Nadja disse...

Que coisa linda!Acho que foi o mais belo dos que eu li que voce fez!Lindo!...mas,deixo aqui um conselho:não seja nunca casta de amor,de poesia,de felicidade, deixe-a te invadir como o sol pelas janelas e seja muito feliz,sempre! bjosss

Cadinho RoCo disse...

E assim é que das fagulhas do presente a luz aparece, ainda que pela insistência de misteriosos mosaicos.
Cadinho RoCo

Noslen ed azuos disse...

A beleza se confundiu com sua poesia, bela poesia de palavras gentis, como dizia, sua beleza se confundi com sua poesia, bela poetisa.

Ns

Tarco Rosa disse...

Nossa, me lembrei de algumas coisas: do poema Traduzir-se, de Ferreira Gullar e a famosa cantiga de Sá de Miranda, Comigo me desavim...
Um grande abraço

Um olhar para dentro disse...

Quanto romantismo...
Linda!
:**********

Vieira Calado disse...

Oh, miga!
Tão novinha e já a pensar no passado.
O futuro é que é!...
Força!
Beijinhos

O Profeta disse...

...E és tanto...imensa no sentir!


De pequena poça fiz um universo
Feito de sete estrelas do mar
Murmurou-me um búzio ao ouvido
O rumo para te encontrar


Bom fim de semana



Mágico beijo

Paradoxos disse...

e fica mais um beijão
bom fim-de-semana!

Aline disse...

Oi,Aninha
Sinto-me tão incapaz de comentar seus belos poemas...Então só vou dizer:Lindos..lindos!!

beijos e sucesso para c tb

Flávio Monte disse...

Olá Aninha.
Hoje venho aqui apenas para lhe dizer que já tenho a minha nova casa. Luís Costa deu lugar a Flávio Monte.
Espero por si!
Bjs